Imagem

Hanami (花見)

Hanami significa “Contemplar ou apreciar” as flores de cerejeira, ou Sakura (桜) como são conhecidas no Japão.

 

A floradas das Cerejeiras na (nossa) Primavera é ocasião para comemoração, no Japão é uma grande festa e aqui não foi diferente, com piquenique e saquê embaixo das arvores floridas como manda a tradição. No entanto ainda estamos no inverno, mas algumas arvores se anteciparam já estavam completamente floridas, outras nem tanto, e o restando não florou ainda.

No dia 6 de agosto, houve mais um Festival das Cerejeiras no Parque do Carmo, e dei um pulo lá para conferir.

A Festa das Cerejeiras de 2016 está em sua 38º edição e é organizada pela Federação Sakura e Ipê do Brasil, se concentrando no Parque do Carmo que fica no Itaquera, Zona Leste de São Paulo.

Mais informações são postadas em sua página do Facebook, bom para quem quiser se programar para as próximas ocasiões.

Agora vou falar brevemente o que eu achei nesta edição.

Eu cheguei por volta as 8:40, e o parque já tinha várias pessoas apreciando as cerejeiras, ao menos as melhores cerejeiras em abundancia.

Passei boa parte do tempo com as melhores árvores e consegui boas fotos antes da lotação começar.

Olha quem veio ver as flores de cerejeira também!

 

Assim como no Festival do Japão no mês anterior, a festa teve várias atrações, mas como fiquei apenas durante a manhã, apenas vi por um breve momento a apresentação Federação Sakura e Ipê do Brasil.

 

A praça de alimentação contou com a culinária japonesa, não demorou muito para que enormes filas começassem a se formar, e nem todas as barracas aceitam cartão. Ou melhor, só encontrei uma, as demais apenas dinheiro. Algo que foi criticado por muitos que não andam mais com dinheiro vivo.

Este foi o lanche dos campeões, foi bem mais barato que a “marmitex” de Yakisoba que estavam cobrando.

 

As melhores cerejeiras já estavam começando a ficar ocupadas, pois nem todas haviam florado totalmente, e vale a regra do quanto mais melhor. E por volta as 10:30, a situação estava bem diferente de quando cheguei, a logo mais e mais pessoas chegavam de todos os cantos para se acomodarem onde podiam.

Antes da locação atingir seu alto, fiz mais algumas fotos com a única lente de 50mm que levei (eu deveria ter levado a 18-55 também)

Não são as melhores fotos, mas foram as que mais gostei.

E claro, como sempre, novamente vi muitas pessoas agitando os galhos sem o menor pudor ou respeito na hora de tirar as fotos. Um grupo de pessoas se aglomerou em uma das arvores mais floridas, e várias balançavam os galhos exaustivamente para que as pétalas caíssem propositalmente, NÃO É PARA FAZER ISSO!

Os galhos das cerejeiras são frágeis e não devem sofrer nenhum tipo de pressão, do contrário, eles se quebram com facilidade, mas parece que as tais pessoas não se importavam, só queriam tirar a foto desrespeitando algo que leva muito tempo para se formar, e como falta de vergonha na cara é pouco, o fato disso ser crime ambiental nem passou pela cabeça do tal grupo.

Espero que na próxima edição, haja uma fiscalização mais rigorosa nas áreas das cerejeiras, pois não encontrei ninguém responsável próximo para fazer a denuncia.

Outro problema que vi, é que a estrutura para receber mais e mais pessoas. Ao terminar o espaço do estacionamento, vários carros estavam estacionados no caminho feito pelas vans que transportavam as pessoas da entrada principal, até o parque. Não é um transtorno crônico, mas atrapalha bastante os próprios motoristas. Mas nada que um bom replanejamento não resolva.

Resumindo, o Festival das Cerejeiras é um ótimo programa para a família toda, até para o seu cão passear, apenas não se esquecendo, que respeitar as belas cerejeiras não é só por superstição, é um dever de todos.

A festa que começou dia 5 ira até o dia 7 de agosto.

Previsão do tempo diz, vai fazer calor, leve o protetor. O que? Ainda estamos no inverno?

 

Anúncios