初音ミク – NEXT PjD

Project DIVA era uma ideia que parecia uma loucura, mas que estava trazendo os seus frutos, até mais que os antigos jogos de ritmo que a SEGA tentou emplacar no passado e não foi como esperado. Só que agora, temos a Miku. E o mundo tem que girar.

full

Conhecido como Next Project DIVA, a SEGA começou a “atiçar” o fandom com o 5º jogo da série em desenvolvimento, e desta vez, não estaria mais preso apenas ao portátil.

Com o desenvolvimento começado ainda em 2011 pelas equipes do Arcade e dos jogos originais do PSP, o jogo fez sua primeira estreia no novo console portátil da Sony, o poderosíssimo PS VITA (sem ironias). E também seu lançamento oficial no PS3. Ao contrário do Dreamy Theater, não dependia mais do PSP para funcionar, como um jogo retail completo.

Lançado na vésperas do aniversário da Miku, em 30 de agosto de 2012 o jogo é lançado no Japão inicialmente para o PS Vita, e só em 4 de março de 2014 é lançado para o PS3 segundo site oficial da Sega.

O ilustrador pai KEI novamente fica a cargo de ilustrar os encartes da versão mídia física de ambos os jogos, que agora conta com 44 músicas e algumas novidades no gameplay.

  • Agora além das 4 notas tradicionais, temos uma estrela que risca uma linha na tela de acordo com o ritmo. Você pode “acertar” com o touchscreen do PS Vita ou nos analógicos do PS3.
  • O Chance Time no fim das músicas agora ganhou uma utilidade. Você NÃO pode errar nenhuma nota neste momento, isso vai encher uma estrela no canto da tela, e na ultima nota, uma estrela maior vai aparecer na cor dourada. Se você acertar, o final do PV será diferente de acordo com a música. Se for a estrela cinza, ou se você erra-la, será o final padrão.
  • Durante o gameplay você terá o Technical Zone, outro trecho da música onde você também NÃO deve errar a quantidade de notas exigidas que aparece no canto superior esquerdo da tela. Se conseguir, ganhara um ótimo bônus.
  • Estilo gráfico dos jogos anteriores foi mantido e atualizado com mais detalhes, mais efeitos de iluminação, movimentos mais suaves e expressões faciais mais bem definidas, justo para com um hardware mais avançado.
  • No PS Vita, você pode usar a tela de toque do portátil como um meio de interação no DIVA ROOM, sim, você pode cutucar a cara dos coitados dos Vocaloids,  ou a poupança deles com touchscreeen traseiro (Ui!)
  • Ainda no PS Vita, com suas duas câmeras, temos a Realidade Aumentada. Agora você não precisa pagar 349 dólares na MIKU EXPO para tirar uma “selfie” com a Miku, você mesmo pode fazer isso com o PS Vita de graça.

Até então, Project DIVA é um jogo exclusivo do Japão, e que só comprando a mídia física pela internet ou baixando da PSN japonesa eram os meios de conseguir o jogo de forma legal. 

Até que o fandom ocidental se mobilizou com a Sega of America, pedindo para que o jogo fosse oficialmente localizado para o ocidente.

A resposta do apelo veio em uma publicação no Facebook, onde a Sega pedia 30 mil likes, se a meta fosse atingida, a promessa seria cumprida. Challenge Accepted and Done!

f04b622733e1a48d157a62177031671e1362674084_full
Vocês querem o Project DIVA no ocidente? Então mostrem que gostam, e comprem!

Um meio eficaz e fácil de medir a poluraridade da Hatsune Miku no ocidente, a SEGA conseguiu o que queria, e o fandom também. Este que voz escreve também fez a sua parte, mesmo não tendo nenhum console da Sony.

O cumprimento da promessa veio 27 de agosto de 2013 para o PS3, e 4 de março de 2014 para o PS Vita. E a Europa não ficou de fora, a SoE fez a sua parte também. 

Pela primeira vez, o Project DIVA dá as caras no ocidente de forma oficial e sem gambiarras.

Mas e o Arcade? A SEGA não se esqueceu dele. Enquanto a versão de consoles seguia seu caminho, a equipe responsável pelo Arcade lhe deu uma Senhora Atualização.

Hatsune Miku – Project DIVA ARCADE Future Tone chegou em 21 de novembro de 2013 com toda pompa em vários Game Centers do Japão.

Com uma nova engine gráfica, mais shaders, mais detalhes, texturas mais detalhadas e uma física melhorada. O jogo conta com as mesma mecânicas do seu antecessor, e com a adição de um slider no gabinete do Arcade para as notas em forma de seta.

Tudo isso roda em um novo hardware, o PC Sega Nu Hardware, que consiste em um Intel Core i3 3220 (Ivy Bridge), e uma NVIDIA GTX650Ti. Atualmente, o jogo conta com mais de 230 músicas, e recebe atualizações até hoje.

A coisa está indo tão bem, que a série ganhou um spin-off¹ para o Nintendo 3DS. Conhecido como Hatsune Miku and Future Stars: Project Mirai

¹ spin-off: Algo derivado de um assunto principal. No nosso caso, derivado do Project DIVA.

 

Seu gameplay tem algumas diferenças, no lugar das notas geométricas do PlayStation, são os 4 botões A B X Y do portátil da Nintendo. As notas caminham por uma especie de trilho onde você precisa acertar de acordo com o ritmo, como de costume. Infelizmente, eu nunca joguei então, não posso dar uma opinião melhor sobre ele.

Visualmente, temos os Vocaloids em sua forma chibi, que são bonequinhos bonitinhos cabeçudinhos, que deu origem aos famosos Nendoroids que veremos mais para frente.

O Nintendo 3DS recebeu 2 jogos e só. Nada para o Wii e muito menos para o WiiU.

Quer mais fofurice? Então toma a abertura do jogo com a música Yume Yume do DECO27

De volta aos consoles da Sony, algum tempo depois o mundo recebe 27 de março de 2014, o Hatsune Miku: Project DIVA Ƒ 2nd para PS3 e PS Vita. Incluindo suas devidas versões ocidentais localizadas e traduzidas para o inglês como o jogo anterior.

Neste aqui temos o refinamento do gameplay do Project DIVA F, com músicas novas e o retorno de algumas músicas antigas da série com gráficos atualizados.

Sobre a classificação etária, o jogo recebeu uma classificação acima de 10 anos. Isso ocorreu por causa do conteúdo nas letras das músicas, e nos PVs, sim! Conteúdo sugestivo e violência média em algumas músicas, mas em quais, bom, tenho algumas suspeitas.

A coitada da MEIKO na música Nostalogic por exemplo, mal pode dançar de forma sensual que já viram coisa errada ali. E não adianta trocar para a Luka. 

A SEGA fez um ótimo trabalho no motor de física das modelos, ficou tão bem feito que até o que não deveria chamar a atenção, chamou.

A pobre e inocente Rin, não escapou na Tokyo Teddy Bear com todas aquelas tesouras, nem imagino no que pensaram quando traduziram aquela letra, que por si só já gera muitas interpretações.

Sweet Devil, Secret Police, Romeo and Cinderela….sim, a coisa vai longe.

O Project DIVA F2nd é tão incrível, que ele foi trazido para o Brasil de forma oficial, sim! O Burajiru teve o jogo vendido aqui oficialmente para o PS3, e atualmente está a preço de banana em algumas lojas online.

E o mais interessante, classificação LIVRE.

sem-titulo

Livre para TODOS os públicos! Aqui é Brasil porra!

Já é notável, a série Project DIVA é uma das franquias de jogos de ritmo mais duradouras e rentáveis da SEGA, com quase 10 jogos lançados, incluindo Spin-offs, Hatsune Miku se tornou uma das mascotes oficiais da Sega, mais que o seu próprio Sonic (desculpa Sonic, você agora tem patroa)

E ainda não acabou, no próximo post vou resumir meu a analise do port do Arcade Future Tone para o PS4, já falei sobre ele aqui.

E claro, o Project DIVA X, o jogo mais polêmico de toda a série não ficou de fora, falei sobre ele aqui.

Anúncios