2016 Valeu a pena?

Patrocinado com as melhores fotos que fiz neste ano que vai demorar para terminar, vamos fazer o balanço de 2016:

Reencontros +2

Mesmo com baixas, consegui rever alguns antigos amigos que a muito tempo não via, e não foi apenas isso, graças a grande última tragédia no grupo onde fui chutado por merecimento, serviu para me re-aproximar destes que me apoiaram nestes tempos tão caros e corridos. Não adianta ter trocentas amizades sendo que apenas umas poucas valem a pena, sendo assim, mais uma vez a teoria se confirma, menos é mais.

Há mais alguns amigos que preciso rever, espero que 2017 seja mais favorável (leia-se dinheiro e tempo).

Mais fotos +3

Consegui tirar boas fotos nas poucas saídas que fiz, e melhorar um pouco mais como sempre. Graças as pessoas queridas que participaram e fizeram o meu dia ser um pouco melhor. Sou muito grato a vocês por toda paciência.

E já aviso que eu quero fazer mais fotos em 2017!

Mais Twitter +2

Já era obvio, minha integração com o fandom japonês da Miku me aproximou ainda mais do Twitter, e um pouco mais ao G+. Conheci algumas pessoas de fora do Brasil que, mesmo me virando com o inglês caipira e o japonês improvisado, consigo me comunicar. É uma nova geração que está aos poucos, trazendo seus frutos. E quero continuar fortemente seguindo adiante com esta geração.

O ano que comecei a aprender japonês do zero +2

No final de 2015, decidi que faria de 2016 o ano que aprenderia japonês do zero. E comecei das mais variadas formas, muitas delas erradas, demorei meses até encontrar o método certo. E ao final de 2016 já tenho uma boa base no hiragana, katakana e alguns poucos kanjis em sua gramática. Talvez para você, que sabe japonês, isso não é nada, mas para quem está estudando só com material, e sozinho, é um progresso e tanto para alguém com vários problemas crônicos de atenção e memória, é um desafio de gigante. 

Infelizmente, não posso pagar curso e não tenho ritmo de aluno de sala de aula. Meu raciocínio é lento demais para os padrões “quero para ontem” dos professores. E pagar para ouvir o que não quero está fora de questão.

Não, não tem ninguém gritando 頑張ってフェリペさん ou presente do meu lado 24h me ensinando, não é todo mundo que tem paciência de monge para ficar me ensinando como um bebê. E minha família disfuncional e extremamente endividada acha isso bobagem. É como dizem: O mundo sempre vai conspirar contra você, aguente.

Então, estou seguindo sozinho memorizando aos poucos as sentenças retiradas de alguns sites especializados no assunto. E porque não, do Twitter dos japoneses também, já que acesso todos os dias, posso até me arriscar a dizer algumas coisas básicas, tomando os devidos cuidados é claro.

Bom, claro que como todo filme tem os seus baixos:

 

Baixas em pseudo amizades -3

Está virando uma rotina chata porém necessária. Mais uma vez somei baixas de amizades tóxicas em minha vida. Pessoas que saíram da minha vida por imaturidade e negligencia de minha parte, ou por mérito. Sintomas de uma péssima reputação que colhi sendo imaturo e idiota, infelizmente não recebi educação suficiente na parte de tomar cuidado com que falo ou com o que faço. No fim, estou morto para elas e eles, e já passou da hora fazer o mesmo de minha parte.

Dizem que ninguém entra sem sua vida por acaso, tudo há uma razão. E sinto que já extraí várias delas.

Perdas -2

Não foi muito, mas foi bem triste, incluindo algumas coisas de muito apreço. É injusto, mas vendo por outro lado, talvez eu merecia isso, já que como ser humano estou devendo alguns castigos, e como ele não vem a cavalo, veio bem devagar para se sentir na pele, o que acontece quando não toma cuidado com suas coisas.

Acabei caindo em depressão, passei dias sem comer e beber, e só consegui me levantar graças a uma das amizades mais antigas que tenho, a a única que me deu forças e alguma razão para enfrentar mais essa queda.

Enfim, após me levantar, fica a lição dada.

So long Ressaca Friends -2

Parece que um dos eventos satélite da Yamato perdeu seu público diante a concorrência que chegou para ficar fazendo melhor. É possível que o evento deixe de existir a partir de 2017. E não, não estou tão feliz com isso, mas também não vou ficar chorando por isso. Minha razão por ir foi para rever alguns amigos que só encontro lá.

Balanço geral

Valeu a pena: 9 pontos

Não valeu a pena: -7 pontos

Total de 2016: 4 pontos

O veredito de 2016 está encerrado. Como já era de se esperar, este ano foi bem mediano e triste em várias frentes. No entanto, as poucas coisas boas que ocorreram compensaram positivamente, mesmo com seus pesares.

Com tudo isso, já defini minhas metas:

Re-aprender a viver e a lidar com situações

Não posso voltar para minha casca do ovo e continuar fingindo que está tudo bem, tenho que aprender de uma vez por todas a confrontar tudo e todos. Mas preciso de ajuda para me corrigir e re-aprender a viver, não adianta fazer tudo sozinho e achar que está certo quando não está.

Preciso de um corretivo em minhas ações, e emoções e pensamentos, começando do zero se for possível. Quem sabe eu posso finalmente me livrar de todas as minhas magoas e tristezas do passado, incluindo as pessoas responsáveis por eles; Seja por minha culpa direta ou indiretamente. Selar meu passado ruim e seus fantasmas que vivem me atormentando.

Ajuda médica para tratar minhas doenças de aprendizado

Vou procurar um neurologista para tratar meu TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade), que para quem não sabe, é uma doença neurológica crônica que provoca problemas de desatenção, esquecimento prematuro de novas informações, hiperatividade e impulsividade. Pense na sua vida com várias alterações em todos os sentidos, qualquer ambiente se torna pé de guerra porque você não controla o que fala. Fora a ansiedade 24h por dia, um ser humano sempre acima dos 100km/h ligado no 220 volts.

Ao contrário do dito popular, isso não é uma frescura, ou desculpa para não estudar ou trabalhar, é sério, e grave. E tenho que cuidar disso se eu quiser me tornar alguém.

Não quero mais perder amigos e as pessoas que amo por ser impulsivo e idiota. Estou a uma vida fazendo isso, e já me cansei desse filme onde sou sempre passado para trás, além de servir de saco de pancadas. E está na hora de revidar com atitudes. 

Não sei por onde começar, mas essa será a meta de 2017.

Para muitos, alguém da minha idade que não se tornou ninguém, não tem mais chances. O que eu rebato e discordo totalmente. Acho que ainda não é o fim, contrariando o que eu li de um certo individuo escroto que se acha no direito de me julgar, que desprazer.

Tirando o filme que todos já sabem, este ano eu fiz algo diferente, defini uma nova meta, consegui rever alguns amigos, tirei boas fotos, aprendi à base de dor a cuidar melhor das minhas coisas. E ano que vem, será a hora de cuidar mais de mim.

Meus sinceros agradecimentos

Para você que conseguiu chegar até aqui e compreendeu um pouco minha história, já tem minha consideração e meus sinceros agradecimentos por continuar ao meu lado, mesmo sabendo que não sou melhor em nada e nem tenho como retribuir, tenho os meus valores, e está na hora de mostrar quem eu sou.

Nos vemos em 2017

Menos é mais.

Anúncios